Dia 29 – 908 km – Punta Arenas, Puerto Natales, Torres del Paine e de volta a Argentina em El Calafate

Alguem ai tem uma bola de volei para eu chamar de Wilson?

Realmente acho que fiquei preguiçoso desde a minha chegada em Punta Arenas no Chile, mas gostaria de começar esse tópico dando um alerta a todos os viajantes. Se vocês forem ao Chile tomem muito cuidado com o PISCO, como as pessoas locais dizem por aqui “Pisco te mata!”. Bom vou evitar escerver muito e colocar logo as fotos.

Só aviso que o engraçadinho que tirou as fotos passou mal dentro da propria barraca e fez a maior sujeira. Eu não fui o único, só fui o primeiro! rsrsrs

Anyway finalmente saí do excelente e divertidissímo Hostel Independencia em Punta Arenas e pedalei sozinho até a proxima cidade chamada Puerto Natales, destino para todos aqueles que querem visitar o Parque Nacional Torres del Paine. Foram dois dias de pedalada e confesso que foi meio apavorante acampar pela primeira vez no meio do nada, sem ninguem por perto e ao lado de uma estrada (foto ao lado). Nunca cozinhei um macarrão tão rápido para dormir logo e continuar a pedalar no outro dia.

Chegando em Puerto Natales encontrei o camping/hostel chamado Casa Lili, 2500 pesos chilenos (aprox. 5 dolares americanos) com wifi, chuveiro quente, cozinha etc. Recomendado para quem quer gastar pouco! O único problema é que se você for acampar ficará meia hora pesquisando o melhor lugar para por a barraca já que o cachorro da foto ao lado chamado Ewoke (sim, igual ao personagem do filme Star Wars) faz suas necessidades em todos  lados e você não vai quere dobrar uma barraca cheia de bosta!

Aproveitei para descansar e fiquei coçando dois dias no hostel. Quase deixei de conhecer o lindíssimo Parque Nacional Torres del Paine se não fosse a oferta de carona dada pelo amigo australiano Dean em sua moto russa, réplica de uma BMW utilizada pelos alemães na Segunda Guerra.

O parque possuí mais de 100km de trilhas, dentre elas a mais famosa é o W que adentra praticamente todas as montanhas e glaciares do parque. Como eu estava com uma mochila terrível comprada por 12 doláres na Zona Franca em Punta Arenas optei por fazer só 2 dias de caminhada e conhecer as famosas Torres del Paine. A trilha em sí é maravilhosa mas chegar ao mais alto ponto de observação 3 horas depois de caminhadas ingremes e cansativas é uma sensação indescritível. Como é lindo tudo aqui de cima (foto da esquerda)!

Como o Dean iria continuar por 5 dias fazendo as trilhas do parque tive que pegar um ônibus por 5000 pesos chilenos de volta para a cidade de Puerto Natales. Ao chegar no camping comecei a arrumar minhas coisas para a partida de bike. Como eu sabia que seria uma longa viagem até El Calafate fui ao mercado e comprei suprimentos para os proximos 4 dias com alguma margem de erro. Enchi minhas garrafas pet de água e deixei tudo pronto para partir cedo, nunca tinha visto minha bike tão pesada, 5 dias de comida + 7 litros de água + 50kg de equipos! God Dammit!

8 da manhã o despertador toca, tomo meu café da manhã com leite em pó, sucrilhos, pão com geléia de pêssego e café e caio na estrada. Faltam 270km para El Calafate, tenho que cruzar a fronteira do Chile com a Argentina e andar entre 60 a 90 km para achar lugar com água potavel. Após 70km pedalados com o relógio da bike mostrando 19:00 e o sol começou a se por, tive que para de pedalar e montar o acampamento. A direita segue a foto do isolado local. Esses são os pampas argentinos, milhares de quilometros quadrados sem se quer uma árvore, somente pequenos arbustos de 10 cm e alguns animais como Guanacos, Cordeiros e Falcões Pelegrinos.

No outro dia acor’dei as 9 da manhã e fui lavar a louça da noite passada (essa eu aprendi com o Francês), nos acampamentos selvagens deixamos a louça suja para fora da barraca e como sempre há chuva ou condensação de água na madrugada a penela amanhecerá humidecida, permitindo a lavagem das mesmas sem gastar água potavel para beber. O problema é a falta de coragem para lavar louça com água à 2, 3 graus!

Já n metade do dia surge no horizonte um outro cicloturista! Ele é da Suiça e esta pedalando hà 2 anos pelo mundo. Da América do Sul viajará para a Africa onde começará a pedalar de volta a seu país natal.

Com o odômetro marcando 70km e o sol começando a se por novamente preparei o acampamento, fiz o clássico arroz com sardinhas e fui dormir. Na manhã seguinte fui acordado por um vento fortissímo e ao desmontar o acampamento retirei todos os espeques da barraca e a vi voar como uma pipa, tive que correr centenas de metros para alcança-la.

Aproveitei este vento que estava ao meu favor e pedalei por mais de 140 km ontem até chegar em El Calafate de onde escrevo. Nunca havia pedalado tanto! Estou meio morto até agora por isso tirei o dia para não fazer nada, só escrever no blog. Amanhã visitarei o Glaciar Perito Moreno e depois de amanhã quero começar a pedalar rumo El Chalten.

Agradeço aos familiares pelos comentários desesperados, à namorada e todos os amigos que de alguma forma estão comigo na pedalada desde o Fin del Mondo.